CONTEMPLAÇÃO

O Vermelho, o Verde e o Branco

Um bando de araras passa em revoada sobre sua cabeça. As vozes estridentes chamam sua atenção, você olha para cima e vê o vermelho se destacando sob o céu azul. Neste momento, azul e vermelho são as cores que predominam no céu claro.

Mas o vermelho não está apenas nas aves, está também no arenito que forma o Buraco das Araras. Essa rocha milenar se decompõe lentamente para formar o solo frágil que sustenta a vegetação local, num belo contraste entre o vermelho e o verde, as cores predominantes durante a estação chuvosa, entre novembro e março.

Neste momento, a paisagem se resume ao vermelho da terra e ao verde das árvores, numa combinação perfeita de luz e cor, assim como nas asas vermelhas e verdes das araras. É tão perfeito que mesmo as araras descansando nas copas das árvores estão integradas harmonicamente neste cenário, já que dele fazem parte.

Mas se a viagem acontecer entre abril e outubro, as cores podem ser outras. Pode ser que o branco também esteja presente na paisagem seca, mas não menos bela, assim como está também na face da arara, nas flores da guavira, na polpa do araticum. Para onde se olhar, é vermelho, verde, branco. Mas também azul, rosa, amarelo e todas as cores que a natureza pintou ao desenhar um lugar tão especial que convida o tempo inteiro à contemplação.

DEPOIMENTOS

Espetacular formação geológica. Natureza exuberante e, se der sorte, poderá ver o sobrevoo das Araras. Nem sempre elas estão disponíveis para tal. Mas mesmo assim, vale a visita. Somente se estiver com o tempo chuvoso, prejudica em muito a visitação

(JRGimenez , Caxias Do Sul, RS)

CONTEMPLAR O QUÊ?

Todo ambiente natural oferece riscos associados à atividade de natureza, para os quais os condutores devem estar atentos e antecipar acidentes que possam colocar em risco a segurança do visitante e sua própria, mesmo considerando que o nosso destino é uma das atrações mais calmas da região.

Com o objetivo de garantir a tranquilidade e segurança de nossos visitantes, em 2008 a RPPN Buraco das Araras entrou no Programa Aventura Segura da Abeta, em busca de obter a Certificação de Segurança das atividades turísticas. Deste modo o atrativo adotou uma série de medidas, buscando sempre o foco da gestão de segurança. Para isso temos profissionais capacitados com cursos de primeiros socorros e treinamentos com várias simulações de riscos ao longo do ano.

Tal preocupação levou a equipe Buraco das Araras a estabelecer um Sistema de Gestão da Segurança (SGS) certificado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Para receber esta certificação passamos por uma auditoria, onde são elencados os riscos e as medidas a serem tomadas a favor de evitar os mesmo e também uma minuciosa análise de documentos, classificando os itens entre: conformidades e não conformidades, todos analisados com base nas normas de seguranças da ABNT NBR 15331:2006. Cumprindo todos estes requisitos estamos garantindo uma visita segura para turistas, funcionários e dirigentes de turismo.

Para tornar sua experiência mais agradável, vista roupas leves e confortáveis, acompanhadas de chapéu ou boné, tênis ou sandália fechada (tipo papete). Não se esqueça do binóculo, protetor solar, repelente, água e, para eternizar o momento, câmera fotográfica ou filmadora. E caso queira levar uma lembrança, aceitamos cartões Visa.

Participar de tudo isso exige alguns cuidados e informações, fornecidas na recepção do passeio, onde também estão localizados banheiros, loja de artesanato regional e bar.

A atividade consiste em percorrer uma trilha de 900 metros em meio à paisagem do cerrado, sua flora e fauna. Seguindo regras de segurança e conservação ambiental, este trajeto só pode ser feito acompanhado por guias de turismo ou monitores ambientais credenciados, em grupos de no máximo dez pessoas. Cada grupo deve respeitar um intervalo de quinze minutos, o que evita encontros durante o trajeto e permite uma experiência muito mais agradável.

A contemplação da dolina é feita a partir de dois mirantes, instalados na beira do abismo, onde duas lunetas fixas estão disponíveis aos visitantes. Além da maravilhosa vista, deste ponto é possível observar o voo das araras e das outras aves que habitam o local, como curicacas, carcarás, urubus, pássaros-pretos, gralhas, papagaios, periquitos e eventualmente o acauã e o gavião-pato, entre outros valorosos visitantes. O tempo médio de duração da atividade é de quarenta minutos, finalizada na recepção. O passeio pode ser adquirido em uma das agências locais de Bonito e Jardim ou na própria reserva.

O Cerrado, as flores, os frutos, os animais flagrados na trilha, os paredões de arenito, a dolina, as araras sobrevoando a paisagem. Contemplar milhares de anos de formação e décadas de história local. Contemplar tudo isso junto e cada coisa separadamente, o tempo que precisar. Registrar tudo na memória e porque não, na foto, na filmagem, no testemunho escrito. Contemplar a exuberância da natureza que se mostra bela e colorida. Contemplar com os olhos e os ouvidos.  

BURACO DAS ARARAS
Uma caminhada suave para todas as idades, com atrativos naturais que mexem com todos os nossos sentidos.



SOLICITE SUA RESERVA

Dia de entrada no passeio:






Ao solicitar essa reserva, tenho total ciência de que a mesma não estará efetivada até que a equipe do Buraco das Araras entre em contato comigo.

OBSERVAÇÃO DE AVES

Até o momento temos 125 espécies registradas na RPPN Buraco das Araras, e por isso lançamos o desafio: venha passarinhar conosco e nos ajude a ampliar nossa lista, aumentando também o conhecimento sobre as aves de nossa região.

CLIQUE AQUI PARA CONHECER NOSSA LISTA DE AVES.

Além da observação, é bem provável que você queira registrar as aves com sua câmera fotográfica. O Buraco das Araras é um excelente local para isso, com ótima luminosidade e chances de se aproximar de várias espécies durante a caminhada pela trilha.

Durante o passeio regular já é possível fazer bons registros de aves com uma câmera digital simples, sem muitos recursos, desde que possua um zoom de alcance razoável. Apesar de serem animais selvagens, algumas das araras aproximam-se bastante dos visitantes, permitindo belas fotos delas se alimentando, se acariciando ou descansando nas árvores. Mas caso seu interesse seja realizar imagens mais elaboradas, como captar as aves em pleno voo ou dentro dos ninhos na rocha, já é necessário dedicar mais tempo e utilizar equipamentos com recursos semi-profissionais.

Nestas situações, é recomendável que você solicite junto à sua agência de viagens um agendamento especial, com a possibilidade de passar mais tempo no local e ter um guia ou monitor exclusivo. Tais pedidos são mais fáceis de viabilizar durante os períodos de baixa temporada turística, quando o menor movimento de visitantes nos permite maior flexibilidade.

Não é preciso ser um observador de aves experiente para visitar o Buraco das Araras, mas com certeza você vai adorar a novidade. A observação é feita em grupos de no máximo dez pessoas, sempre acompanhadas por um guia ou monitor credenciado. Pode ser feita de manhã bem cedinho (é o melhor horário), ou então no final da tarde. Durante a atividade são percorridas as trilhas tradicionais ou outros caminhos, todos em ambiente de cerrado, onde é possível observar diversas aves como o papa-formigas-vermelho, guaracavas, pica-paus, sanhaços, andorinhas, inhambus, gaviões, papagaios, araras, periquitos, tucanos, seriemas, curicacas, surucuás, udu-de-coroa-azul e muitas outras, afinal até o momento foram registradas 125 espécies dentro da RPPN Buraco das Araras. A parada nos mirantes da dolina oferece também excelente oportunidade para se observar as aves que sobrevoam o local, especialmente as araras. E para facilitar o contato com as aves nos mirantes, duas lunetas fixas estão disponíveis para uso dos visitantes.

A observação de aves pode ser feita durante todo o ano, porém é na primavera que elas estão mais ativas devido ao período reprodutivo, exibindo-se em vôos acrobáticos, cantos melodiosos e cores mais brilhantes. Também é nessa época que algumas aves migratórias visitam a região, como a guaracava-de-crista-branca, sovi, anu-coroca, peitica, saí-andorinha e irré, entre outras. E por falar em período reprodutivo, a dolina é um local muito utilizado durante essa época. Araras, urubus, periquitos, pássaros-pretos, peitica, gralhas, saí-andorinha, surucuá, acauã e até a coruja murucututu costumam construir ninhos nas fendas e na vegetação do Buraco das Araras.

Mas quem disse que não se pode observar aves em outras estações do ano? Durante o verão teremos a chance de observar os pais com seus filhotes crescidos, aprendendo a procurar comida e treinando os primeiros cantos, aos poucos se tornando independentes. E no outono e inverno, o que vemos nas trilhas são bandos formados por várias espécies diferentes, chamados bandos mistos. Este grupo se forma para que as aves possam procurar alimento juntas com segurança, pois sempre vai haver alguém em alerta para denunciar predadores. É a chance de se ver várias espécies no mesmo local!

Enfim, em uma manhã de atividade, é possível observar entre quarenta e sessenta espécies de aves, o que torna este um local imperdível para o observador que estiver passando pela Serra da Bodoquena!

É preciso acordar bem cedo, pois a maior atividade das aves é sempre nas primeiras horas da manhã, sendo mais fácil observá-las nesse período. Caminhe em silêncio, com binóculo na mão, atento aos movimentos e ao canto que indica sua presença. Observe a ave parado e sem fazer movimentos bruscos para não assustá-la. Aproxime-se aos poucos e só então fotografe, mas sem chegar muito perto, especialmente se perceber ninhos e filhotes. Anote a espécie em sua caderneta, mas se não souber qual é, tente descrever suas principais características (marcas de campo) e procure no guia de aves. Depois faça uma lista com todas as aves que viu, anotando local e data. Aos poucos você vai perceber que fica cada vez mais fácil identificá-las.

Ao iniciante basta o interesse, olhos e ouvidos atentos. Sempre tem um passarinho por perto, cantando, buscando comida ou simplesmente voando. Com o tempo haverá a necessidade de se ter um bom binóculo, e as saídas a campo serão acompanhadas de caderneta de anotações, listas e guias de aves, mochila, água, boné, câmera fotográfica e até mesmo gravadores e lunetas.

A observação de aves é uma atividade que já existe há muito tempo em países do Hemisfério Norte, principalmente Inglaterra e Estados Unidos, praticada por milhares de pessoas. Movimenta milhões de dólares em viagens, livros, equipamentos e acessórios. Mais do que uma atividade econômica geradora de empregos, o “birdwatching” é uma opção de lazer e aprendizado que tem cativado cada vez mais brasileiros, especialmente devido a nossa diversidade de ambientes e espécies. Basicamente consiste em observar aves, seja no jardim de casa, parque ou qualquer outro local em que elas ocorram, usando para isto seus próprios olhos ou com auxílio de binóculos ou lunetas. Outros acessórios também vão ajudar, mas a necessidade de tê-los virá aos poucos, conforme seu interesse for aumentando.

Embora já exista uma legião de observadores pelo mundo, no Brasil ainda tem pouca gente praticando, porém, o interesse vem crescendo, especialmente pela a fotografia de aves tem sido uma das principais responsáveis pela popularização da atividade. Todos querem conhecer o nome da ave fotografada ou do pássaro que vem cantar e se alimentar no jardim da casa, contribuindo para divulgar esta saudável atividade.

O Buraco das Araras foi um pioneiro na região a desenvolver esta atividade, sendo um local que naturalmente oferece grandes possibilidades de observação, o que tem atraído cada vez mais os entusiastas das aves.

Contemplar com os olhos e os ouvidos.